16 agosto, 2014

Desafio de Agosto - Sketch 34 by Camila Borssoi

Olá Scrappers,
Sejam bem vindas ao desafio do mês de agosto!
Esses mês temos um sketch com 3 fotos, estamos curiosas para ver a interpretações de vocês.... Falando nisso, mês passado tivemos trabalhos lindos, parabéns meninas!

 É importante lembrá-los que para seu projeto participar, precisamos:

1. Que o link que você colocou possa ser visualizado por todas DTs.
2. Certifique-se que o link seja direcionado para a página em que está o seu projeto e não o blog no geral. Assim seu projeto poderá ser apreciado por todas nós! 

Então vamos ao Sketch e combo de cores... Só para lembrar, usar o combo de cores é opcional. 



Agora o trabalho do nosso time de design.















Aguardamos a participação de vocês até 13/09/2014. 
Lembrando que a vencedora irá ganhar um prêmio de scrap.
Bom Scrap! 

15 agosto, 2014

Vencedora Desafio 33 - Julho/2014

Olá Scrappers,
chegou o momento de mais uma revelação, a vencedora do desafio de julho e ganhadora do prêmio da Toke e Crie.

Primeiro, relembrar o Sketch...



Agora nossa vencedora....



Alessandra Alves parabéns, linda página estilo vintage! 
Por favor, envie seu endereço para o e-mail scrapentreamigas@yahoo.com .

Agradecemos todas as participações, vocês têm feito muitos trabalhos lindos.
Amanhã novo desafio no ar, venham conferir!


28 julho, 2014

Um passeio pelos estilos do Scrapbooking

Queridos leitores, hoje quero convidá-los para um passeio pelo mundo do Scrapbooking. Estamos prestes a entrar em um território cheio de segredos e palavras diferentes. Esse é um assunto que mistura experiências de vida, imaginação, sentimentos, dedicação, delicadezas e muitas histórias. Desvendaremos alguns mistérios sobre o Scrapbooking, Scrapbook ou simplesmente Scrap.

Quando tudo começou

A palavra inglesa Scrap quer dizer pedaço, fragmento, recorte. Portanto, ao pé da letra, scrapbooking significa álbum de recortes. Mas, acima de tudo, scrapbooking é uma forma de preservar nossas memórias, por meio de fotos, textos e de elementos triviais do nosso cotidiano tais como bilhetes, embalagens ou desenhos. Todo tipo de material pode ser usado em scrapbooking.

Este artigo não pretende explorar a história do scrapbooking. Mas acho importante comentar que os registros confeccionados por meio dessa arte são feitos há séculos. É fácil entender o porquê disso. O scrapbooking é um hábito ou hobby totalmente democrático, espontâneo e versátil. Basta ter papel, caneta e uma imagem (foto, desenho, recorte de revista) e já é possível fazer o registro de algo interessante ou importante. Isso já será um pedaço da história de quem tiver criado o "scrap". Isso terá uma identidade, um jeito especial, um olhar.

Muita gente já fez ou faz scrapbooking sem saber que existe todo um mundo e uma indústria relacionados à essa atividade, sem atribuir a isso um caráter diferente ou especial. Os lindos livros de receitas das nossas bisavós e vovós são um bom exemplo disso. Muitos deles eram repletos de comentários sobre quando esta ou aquela receita foi feita, quem gostou, quem não gostou, etc. Eles também continham rótulos ou desenhos dos ingredientes usados na confecção dos quitutes, recortes de receitas de jornal, imagens bonitas tiradas de alguma revista e decalques, além de uma caligrafia caprichada. Toda essa composição tem o poder de nos transportar para aquela época e nos fazer pensar em como essas mulheres eram prendadas e dedicadas. Não é? Esses cadernos eram registros feitos com técnicas de scrap. Essas técnicas também foram usadas por muitas de nós nas fantásticas agendas que fizemos  na época da adolescência. Ingressos de shows, desenhos, declarações, bilhetinhos, pulseiras de linha, tickets diversos, fotos, papel de bombom e muitas outras coisas foram anexadas nelas. Canetas hidrográficas de todas as cores foram usadas ali... No fim, as agendas ficavam super grossas por conta de tudo o que continham. Esses são exemplos de como é gostoso fazer scrapbooking. Essa arte nos permite reviver momentos especiais, usar nossa criatividade, ter prazer de forma simples e fazer muitas amizades.

Quanta versatilidade!

Existem basicamente 3 tipos de scrapbooking: o artesanal, o digital e o híbrido. No scrap artesanal todos os elementos são físicos. Nele são usados papéis, carimbos, tintas, fitas, tecidos, botões e vários outros itens que são manuseados durante o processo de criação. Já no scrap digital, são usados os mesmos elementos. Mas eles são virtuais e o scrap é feito por meio de editores de imagem que reproduzem as diferentes texturas e efeitos. O scrap híbrido é a combinação do scrap artesanal com o digital.

Além das tradicionais páginas de 12'' x 12'' polegadas (30,5 cm x 30,5 cm), dos mini álbuns, tags e cartões, há outras áreas nas quais o scrapbooking é usado. Objetos decorativos, tais como caixas, organizadores, quadros de referências visuais (mood boards), placas, dentre outros, fazem parte do universo conhecido como "home décor". O Scrap festa é a área de decoração e ambientação de eventos, especialmente de festas infantis, lembrancinhas e mesas festivas.

Acid Free

Uma particularidade da indústria do scrap é a preocupação com a preservação dos registros feitos. Normalmente, quando não usamos produtos como papéis, cola e enfeites "acid free", ou seja, com ph neutro, corremos o risco de que os materiais usados fiquem amarelados, desbotados ou que outros tipos de deterioração aconteçam com o passar dos anos. Por isso a indústria se preocupa com a questão acid free. Todo os materiais produzidos seguem esse pré requisito.

Estilos

São muitas as formas de documentar e decorar as páginas, álbuns e objetos feitos por meio das técnicas do scrapbooking. Cada pessoa tem um gosto específico, um processo de criação e de execução dos seus projetos além das suas próprias referências artísticas. O que é bonito e interessante para um pode não ser para o outro, não é? Quero apresentar alguns estilos do scrapbooking. Você já sabe qual é o seu preferido?

Free Style

Como o nome já diz, esse é um estilo totalmente livre. Isto quer dizer que nele você terá a oportunidade de criar absolutamente tudo: layout, composição, acabamento, etc. O ponto positivo é que o free style permite que soltemos a nossa criatividade em vez de ficarmos presos a algumas regras. Normalmente, quando optamos por este estilo, o projeto toma um rumo totalmente diferente daquele que imaginamos a princípio. Quando fazemos um projeto free style podemos imprimir nossa própria linguagem e visão em vez de fazermos uma interpretação de algo que foi pré concebido por outra pessoa. Talvez isso exija uma pitada de ousadia mas vale a pena se permitir essa liberdade.


Layout de Louise Nelson



  Layout de Stephanie Shütze



 Layout de Leanne Allinson

Clean


Menos é mais, certo? Para quem gosta do estilo clean não resta a menor dúvida sobre isso. Poucos elementos são usados nesse estilo e há sempre muito espaço livre ou em branco. Uma foto e poucos elementos, um ou dois papéis, um enfeite, o título e, às vezes, o journaling (texto) são mais do que suficientes. Os itens usados nesse estilo costumam ser pequenos em relação ao tamanho da superfície trabalhada. Os papéis escolhidos são, na maioria das vezes, lisos ou com padrões simples como listas e bolinhas.




Layout de Nina Ostermann



Layout de Brenda Smith - Scrapbooking digital


Vintage

Alguns estilos de scrapbooking estão presentes em outras áreas de expressão cultural. Isso acontece porque um mesmo sentimento ou necessidade nos motiva a fazer ou buscar algo em um âmbito coletivo. O estilo vintage é um exemplo disso. Ele veio à tona pela necessidade coletiva de buscar uma estética de épocas passadas, seus valores, sua essência. Há uma constante releitura dessa estética e podemos sentir um "perfume" vintage em editoriais de moda de revistas do mundo inteiro. A indústria do scrapbooking responde à essa demanda produzindo muitos artigos com aquele "ar de antigo". A idéia é tentar reproduzir um registro com o charme de outra época. Para conseguir esse efeito são usados papéis e objetos com aparência desgastada ou apagada. Os tons amarelados, o marrom e o  ferrugem em peças de metal são muito utilizados também. Além disso, costuma-se lançar mão da técnica do distressing, que simula o desgaste dos papéis pelo tempo e também pelo uso, especialmente nas bordas. As fotografias em preto e branco e em sépia combinam muito com o estilo vintage.


Página de álbum feito por Elena Olinevich



Layout criado por Heather Jacob



Cartão de Encza


Memorabilia

Este é um dos estilos menos conhecidos do scrapbooking. Precisei pesquisar para definir com clareza o que é memorabilia e, assim, distinguí-lo do vintage. Memorabilia integra registros do dia a dia ao scrapbooking. Esses registros podem ser listas de supermercado, recortes de jornal, bilhetes, ingressos de shows ou cinema, desenhos dos filhos, etc. A proposta é enriquecer os álbuns e páginas com fragmentos das nossas vidas e produzir algo realmente "datado" por elementos que vão além da fotografia. Para quem viveu o que está registrado é uma delícia ver todos esses "pedaços de vida" colados no papel. Muitas scrappers se preocupam com a beleza do projeto e dizem que o estilo memorabilia fica feio, sem harmonia. Outras usam esses registros de forma oculta, dentro de envelopes que fazem parte do acabamento da página ou do álbum.


Layout de Kelly Purkey



Layout de Anna Aspnes


Ephemera

Esse é outro estilo que gera confusões na cabeça de quem quer entendê-lo. Muitas vezes ele é confundido com os estilos memorabilia e vintage. Mas ephemera tem a ver com o uso de elementos colecionáveis que não são necessariamente usados em scrapbooking ou em "altered projects". Que elementos seriam esses? Chaves, mapas, páginas de livros, poemas, bonecas antigas, selos, cartas de baralho, peças de jogos, moedas, tecidos antigos, etc. Tudo isso pode dar uma cara vintage ao projeto mas a intenção é mesmo usar objetos que parecem ter sido comprados em feiras de coisas usadas ou em antiquários.


Projeto de Paula Cheney



Projeto de Carolyn Peeler



Layout de Doris Sander


Shabby Chic

Originário da Inglaterra, esse estilo leve e ultra feminino teve sua origem na decoração. Shabby quer dizer surrado, puído ou gasto como eram os móveis de segunda mão usados nas casas de campo inglesas. O estilo shabby chic lembra um pouco o provençal e tem toques do vintage. Mas ele é, como eu gosto de classificar, muito mais "frufruzento". Além desse diferencial, o shabby chic  mistura itens antigos e modernos e suas cores são claras como o verde água, o rosa, o creme e o pêssego. As patronagens florais ou flores claras também estão presentes. O branco predomina. Materiais desgastados, rasgados e desfiados dão alma a esse estilo aconchegante.


Tela de Olga Heldwein



Layout de Ingvild Bolme



Tag de Viola E.


Grunge

O estilo grunge está associado às bandas de rock de Seattle (leia-se "Nirvana") e ao universo do skate. Esse, por sua vez, tem uma forte influência do movimento punk, que deixou marcas na moda, nas artes plásticas, no cinema, no design e na música. O grunge tem um visual agressivo, rebelde e jovem. No scrap o grunge é detectável pelo uso de metais, de alfinetes, de xadrez e de rabiscos, além de cores escuras, especialmente o preto. A aparência grunge normalmente é "suja"ou largada.


Layout de Georgia Heald



Layout de Dorotka Dolega e foto de Dominic Robinson


Steampunk

Este estilo vem da ficção científica. Vocês já devem ter assistido a um daqueles filmes, cujas histórias se passam nos séculos XVIII ou XIX, em que vemos invenções futuristas que funcionam com os recursos daquela época, ou seja, tecnologia a vapor. Máquinas do tempo cheias de engrenagens ou zeppelins imensos movidos a vapor são algumas dessas invenções sui generis. O estilo stempunk é metálico e cheio de peças complicadas. Nele o futuro se mistura ao passado. Muitas scrappers se aventuram nesse universo e conseguem uma harmonia única em seus trabalhos.


Colagem de Finnabair



Layout de Misty


Heritage

Um dos estilos de scrapbooking menos conhecidos é o Heritage. Nele usamos fotos dos nossos antepassados, fotos de família, árvores genealógicas, documentos antigos, muitos com a caligrafia das pessoas fotografadas, tecidos, rendas e fitas antigas e outros itens da época em que os antepassados viveram. Muitos desses objetos de época, usados para adornar as fotos, são difíceis de encontrar. Mas a indústria do scrap produz artigos para todos os gostos e utilidades e é fácil encontrar padronagens de papel e fibras que combinem com o estilo heritage.


Layout de Dollscrap



Layout de Chris Asbury (Scrap digital)


Mixed Media

Pense em liberdade. Isso é mixed media, um estilo em que tudo pode ser usado. Além dos tradicionais materiais de scrapbooking, aqui encontramos todos os tipos de tinta, canetas, fibras, técnicas, misturas, formas, sobreposições e o que mais a imaginação alcançar. Normalmente o fundo dos trabalhos é muito rico e cheio de intervenções. Vemos muito o uso do estêncil e da massa de modelagem, além de muitos elementos colados. Este é um estilo que caminha em direção à arte e vai além do objetivo de preservação das memórias. Tanto que muitas adeptas das técnicas de mixed media se aventuram e fazem trabalhos em telas e em art journals. Expressar suas experiências, seu momento, sua visão do mundo e suas idéias é o que impulsiona essas scrappers.


Layout de Angela Star







Queridos leitores, espero que vocês tenham apreciado o nosso passeio pelo mundo do scrapbooking e que tenham aprendido algo de novo. Existem outros subestilos e variações dos estilos tratados nesse artigo. Mas acredito que, com esses exemplos, conseguimos ter um bom panorama das expressões que o scrap pode ter. Eu gostaria de fazer um agradecimento especial a todas as scrappers que permitiram que seus trabalhos fossem usados nesse artigo.

Um grande abraço a todos.

Designer